1 – O torneio comporta três sessões de 24 a 28 jogos, com jogos pré-duplicados.

2 – Os sistemas serão autorizados de acordo com a Política de Sistemas da Federação Portuguesa de Bridge (sistemas amarelos ou tratamentos castanhos não são permitidos).

3 – O tempo de jogo é de 7 minutos por mão. O Director de Torneio usará de todos os meios necessários para evitar prejuízo para outros concorrentes e garantir o bom ritmo do torneio.

4 – É obrigatório o uso de folha de convenções. De cada vez que o preenchimento incompleto de uma folha de convenções prejudicar seriamente o ritmo de jogo e/ou os adversários, o par em causa será penalizado em 10% do top, para além de eventuais ajustamentos a que haja lugar.

5 – Os apelos serão julgados no final das sessões. É necessária uma caução de 25,00 € por apelo. A caução não será devolvida se a Comissão de Recurso considerar o apelo frívolo ou injustificado.

6 . O “Code of Practice” da WBF e as Normas Técnicas portuguesas aplicam-se, em complemento do Código Internacional de Bridge e do disposto neste regulamento.

7 . A Lei 12 C3 pode ser aplicada pelo Director do Torneio para restabelecer a equidade, de acordo com as recomendações da WBF e da EBL.

8 . O prazo limite para rectificações é, para cada sessão, o início da sessão seguinte, excepto na última sessão em que são 15 minutos após serem disponibilizados os meios necessários para a verificação de resultados.

9 – A classificação geral sem handicaps (scratch) é usada para atribuir todos os prémios especiais. A classificação com handicap é usada para atribuir os prémios “handicap” (do 1º ao 3º). O sistema de handicap encontra-se afixado no local do torneio e é baseado do Ranking publicado pela FPB para a época 2008. Se à data do torneio este ranking não for definitivo, será usado o ranking provisório para efeito meramente indicativo. Para efeito de atribuição de prémios a classificação com handicap só será definitiva quando o Ranking o for. Casos omissos: Aos não-filiados e aos filiados com um ranking claramente inferior ao obtido em épocas anteriores será atribuído um handicap entre 0 e 6,5%, consoante o critério da Organização. Para os filiados com categorias de honra (por exemplo, 2 Paus e simultaneamente Nacional Copas), conta SEMPRE a categoria superior. O handicap das categorias de honra é o mesmo que o de 1 Pau (0%). Todos os pares entram na classificação por handicap. O handicap do par é a soma dos handicaps dos dois jogadores, e é ADICIONADO à média final do par (numa escala de 0 a 100%).

10 – No caso de algum par ter direito a mais de um prémio não-acumulável, aplicar-se-ão em sequência as seguintes regras:· 

Para todos os prémios será sempre atribuído o que tenha maior valor comercial, de acordo com o critério da Organização.· 

Entre prémios de igual valor comercial, é atribuído prioritariamente o que surgir em primeiro lugar na lista final da organização.

11 – Todos os casos omissos são resolvidos pela Organização, com consulta eventual da Comissão de Recurso do torneio. Das decisões finais da Organização não haverá posterior recurso.

A Direcção de Torneio