INSCRIÇÕES: 

A inscrição antecipada nos diversos torneios organizados pela ABM é obrigatória. Somente assim se conseguirá iniciar as sessões nos horários previstos. A falta de inscrição atempada poderá ser penalizada com a interdição de participação. Nas provas de sessão única, Simultâneos Lusobridge, também é necessária a colaboração de todas as pessoas. Neste caso, como é mais complicado saber o número de jogadores, a ABM reserva-se o direito de permitir ou não a participação de pares que cheguem depois das 20.45 horas. Para as restantes provas, o prazo de inscrição termina na quarta-feira anterior ao dia de início da primeira sessão da mesma. Findo este prazo, a inscrição poderá ser recusada. Sem prejuízo do anterior, a eventual aceitação de inscrições tardias será acrescida de uma sobretaxa de 25% a 50% do valor da inscrição.

 

PONTUALIDADE: 

É importante e fundamental. Se todos cumprirem, para além de todas as sessões de todos os torneios decorrerem de acordo com o horário previsto, estarão também a respeitar todos os outros, podendo exigir o mesmo tipo de respeito.

 

TEMPO DE JOGO: 

O tempo médio de jogo é de 7 minutos por mão, sem cortinas, e 8 minutos por mão, com cortinas. O jogo lento é penalizável.

 

COMPARÊNCIA:

Outra questão de respeito. As faltas de comparência causam sempre transtorno. No caso da impossibilidade do seu par/equipa participar em alguma das sessões de determinado torneio, deverá ter o cuidado de informar o árbitro designado para a prova ou o José Júlio Curado, tão antecipadamente quanto possível.

 

SUBSTITUIÇÕES: 

Sempre que possível, a ABM ajudará a encontrar um substituto. É necessário, no entanto, que tal pretensão seja comunicada com antecedência. Algumas provas impõem restrições a substituições, pelo que é sempre importante ler o regulamento específico de cada prova e consultar o árbitro designado.

 

FUMO: 

O Bridge é um Desporto, logo Não há Fumo! A inobservância desta regra simples constitui infracção disciplinar. Se um jogador, por ter ido fumar, provocar atraso na mesa onde devia estar, levando a anulação de um ou mais jogos será considerado infractor em termos da aplicação do CIB (L12) sem prejuízo de penalidades disciplinares adicionais. Se o prevaricador persistir na infracção será excluído da prova e será elaborada participação disciplinar.

 

SILÊNCIO: 

Antes, durante e depois. Não comente as “mãozinhas”! Lembre-se: é mais fácil e mais produtivo combinar que discutir… Os telemóveis e similares devem permanecer desligados durante toda a sessão.

 

TOLERÂNCIA ZERO: 

Sendo o Bridge um Desporto, recomenda-se “fair-play” nas vitórias e derrotas! Na época passada, a ABM relembrou que está em vigor, de acordo com as Normas Técnicas da FPB, a política de TOLERÂNCIA ZERO. Num ano que se queria de transição nem sempre foi totalmente implementada. Para a presente época, este é certamente um dos compromissos mais importantes que a ABM assume com todos os seus associados. Para tal, foi solicitada a sua aplicação integral por parte de todos os árbitros da ABM. Foi ainda pedido ao nosso habitual árbitro, José Júlio Curado, que elabore um documento sucinto onde se explique esta política, para distribuição por todos os associados. De igual modo, a ABM agradece antecipadamente a todos os associados, no sentido de colaborarem com todos os árbitros acatando as suas decisões, mesmo quando não concordar com as mesmas. De acordo com o CIB (L91A) só a decisão de aplicar penalidades disciplinares e de suspensão de uma sessão é FINAL! No caso de existir alguma discordância, há sempre a hipótese de recurso de qualquer decisão que o árbitro tome à mesa para uma comissão nomeada para o efeito. Use-a!

Em todos os torneios serão aplicáveis as regras constantes do “Código Internacional de Bridge”, do “Code of Practice of WBF”, das “Normas Técnicas da Federação Portuguesa de Bridge” e do “Regulamento de Provas da Federação Portuguesa de Bridge”.

A tentativa de resolução por parte dos intervenientes à mesa conduz, normalmente, a situações ainda mais complicadas. Qualquer dúvida deverá ser esclarecida e resolvida pelo árbitro nomeado para a direcção da prova. Chamar o árbitro é uma necessidade, não um insulto!!! Afinal ele está lá para isso…

Para que o prazer de todos em jogar Bridge seja cada vez maior, é necessário que todos colaborem na compreensão e aplicação de tudo o anteriormente exposto.

 

 ♠ ♥ ♦ ♣ Que o Bridge seja o Desporto que todos queremos!!!♣ ♦ ♥ ♠

♠ ♥ ♦ ♣ Ordens de Mérito 2006-2007 ♣ ♦ ♥ ♠

 

Tendo sido positivos os resultados da última época e porque se acha ser motivador para a totalidade dos jogadores, as ordens de mérito relativas a “Jogador do Ano”, “Circuito Regional” e “Simultâneos Lusobridge” terão as seguintes categorias:

» Classificação Geral
» Classificação 2ªs Categorias
» Classificação Sénior
» Classificação Senhoras
» Classificação Juniores/Iniciados

Para que não haja dúvidas no enquadramento destas categorias descrevem-se resumidamente:

Classificação Geral :

Praticantes filiados na ABM, com quotização em dia.

Classificação 2ªs Categorias (Mad) :

Praticantes filiados na ABM, com quotização em dia, de categoria igual ou inferior a 2 ♣ no ranking da FPB publicado no início da época 2006/2007.

Classificação Sénior (Mad) :

Praticantes filiados na ABM, com quotização em dia, nascidos antes de 1 de Janeiro de 1946.

Classificação Senhoras :

Praticantes filiadas na ABM, com quotização em dia.

Classificação Juniores/Iniciados Praticantes filiados na ABM, com quotização em dia, que preencham uma das seguintes condições:

1 – Nascidos depois de 1 de Janeiro de 1981 (<26 Anos)
2 – 1º ou 2º ano de filiação e menos de 10.000 Pontos de Experiência no início da Época (de acordo com o ranking da FPB).
3 – Praticantes que, não cumprindo os critérios anteriores, assim sejam considerados pela direcção da ABM.

 

 

♠ ♥ ♦ ♣ Taxas de Inscrição ♣ ♦ ♥ ♠

 

A política geral seguida para época 2006/2007 vai no sentido da manutenção (e nalguns casos, redução) de preços para os sócios da ABM. De modo a cimentar um ainda maior espírito de grupo decidiu-se que, nas provas dos circuitos, a inscrição em cada torneio passa de € 30,00 por jogador para € 40,00 por jogador e incluirá sempre um jantar, o que se traduz numa redução efectiva de € 10,00 para quem já aderia a esta iniciativa. Deste modo os preços em vigor para a presente época são os seguintes:

 

SIMULTANEOS LUSOBRIDGE

 Sócios da ABM  € 5,00 por jogador e por sessão
 Juniores/Iniciados Sub-25 (1)  € 2,50 por jogador e por sessão
 Juniores/Iniciados Sub-17 (2)  Isento
 Não Sócios  € 7,50 por jogador e por sessão
 (1)nascidos depois de 1 de Janeiro de 1981
 (2)nascidos depois de 1 de Janeiro de 1989

 

 CIRCUITO REGIONAL

 Preço Único € 40,00 por jogador por prova (inclui jantar)

 

 RESTANTES PROVAS DE PARES

 2 Sessões Sócio ABM  € 15,00 por jogador por prova
 2 Sessões N/Sócio ABM  € 20,00 por jogador por prova
 3 Sessões Sócio ABM  € 20,00 por jogador por prova
 3 Sessões N/Sócio ABM  € 27,50 por jogador por prova
 4 Sessões Sócio ABM  € 25,00 por jogador por prova
 4 Sessões – N/Sócio ABM   € 35,00 por jogador por prova

 

EQUIPAS:

Variável de acordo com o número de mãos jogadas por encontro.

 

IMPORTANTE: 

Um sócio da ABM sem as quotas em dia é considerado não sócio.

 

NOTA:

Nas provas com mais que uma sessão é obrigatório que até ao início da 2ª sessão seja efectuado o pagamento correspondente. O não pagamento implicará de a suspensão imediata do par/equipa, que assim não poderá participar naquela sessão com a consequente perda de direitos (incluindo pontos OM e de Homologação para todos os elementos do par/equipa).

 

 

♠ ♥ ♦ ♣ Divirta-se Você também!!! São os nossos votos ♣ ♦ ♥ ♠
♠ ♥ ♦ ♣ Os Órgãos Sociais da ABM ♣ ♦ ♥ ♠

Muitas vezes as pessoas ligadas à modalidade não sabem ou não se recordam da estrutura da ABM. Os órgãos sociais eleitos até final de 2008 são:

 

Assembleia-Geral 

Presidente Nuno Sardinha da Mata
Vice-Presidente José Maria Gouveia
Vogal José António Fernandes

 

Direcção 

Presidente Luís Miguel Roovers Teixeira
Vice-Presidente Rodrigo Martins Soares
Vogal Pedro Nunes 

 

Conselho Fiscal 

Presidente Sílvio Jorge Andrade Costa
Vice-Presidente Fernando Ribeiro
Vogal Virgílio Mota